quinta-feira, 26 de fevereiro de 2009

Sedução




Sedução
Efigênia Coutinho


Embebida de amor e dança,
A ti regresso, em ti revivo, ao
Ritmo lancinante... ergue-me e conduz-me
Ao fulgor certo e fino da Luz!...

Num soberbo encanto... por amaranto,
Eu danço como se tivesse
Um diamante onde as coxas se juntam?
Danço para teu tormento, quase desfaleço.

Trituras o rendilhado do desejo,
Galopas o coração, e, desnudados,
Incitam-nos ao jogo nupcial de peles
juntas, olhos de astros que flamejam.

Saboreando vinho, flor do sangue
Estuoso, certo, arrebatas o ventre,
Das volúpias, carne dos gemidos!
Em ritmo penetrante, explode em cachão!

Luz de jade nas pupilas;
Debaixo da blusa:
Meu-teu coração!

Balneário Camború
2008

Nota: cachão
do Lat. coctione
s. m.,
borbulhão, borbotão, fervura;