terça-feira, 17 de março de 2009

Jogo
















JOGOEfigênia Coutinho

Eu vou sair fora,
quem desejar me ver,
coloque o nariz
pro lado de fora...
Vai se esgarçando,
aos poucos, certamente
você vai ver um coração
pulsar num vulto
desvanecendo-se
longe do eco do mundo!

Adeus mundo surdo
despeço-me das coisas
que vi, quis e fiz!...
Íntrega, lisa e sem
prefacio ou epílogo
sendo um monologo
em céu aberto
sem sombras, sem dobras
ao vento, para o suspiro
flutuar em toda dimensão!

O coração... segue jogando...
paciência com o velho baralho!


Balneário Camboriú
19.10.2008

3 comentários:

Alvaro Oliveira disse...

Adeus mundo surdo!
Quantas vezes desejo
dizer um adeus a este
mundo surdo e indiferente!

Gostei deste jogo.

Um beijo

Alvaro Oliveira

Jyhael disse...

NAS MAÑANS, ÓNDE O SOL BESA O NOSO ROSTRO, ÓNDE O SOL OFRECE VIDA OS NOSOS OLLOS, LATEXA INTENSO O NOSO CORAZÓN, POR VIBRAR, NO SENTIR DESEXADO NA VIDA, ACEPTANDO A PROPOSTA, QUE DESDA INCERTIDUMBRE O FUTURO OFRECENOS, PRA CONVERTELO NO PRESENTE DUN PASADO QUE SERÁ A FIRMA E A FORXA QUE NOS VAI FACENDO... UN FERMOSO XOGO... GRAZAS, QUERIDA EFIGÊNIA, OS MEUS PARABENS, DENDE GALICIA, ESPAÑA, O TEU AMIGO JYAHEL

Jorge Sader Filho disse...

Este "velho baralho" joga qualquer partida...
Beijo.
Jorge