sexta-feira, 29 de maio de 2009

Aceita Esta Canção...




















Aceita Esta Canção...
Efigênia Coutinho

Senhor de país egrégio bem nascido,
De espírito notável, concebido
Dentro de longos sonhos, me aceita
Nesta breve canção, que te respeita.

Por seres o meu melhor na profundeza,
Te dou meu coração em singeleza.
Repito quantas vezes for preciso:
Aceita esta canção, e eu a biso.

Vai... Vai esta Canção, pelos espaços
Do gentil horizonte penhorado,
Atar meu bem-amado nestes laços;

Vai, sim, vai como um vôo libertado
Que fica agarrado aos seus passos
E preso ao coração do bem-amado!

Efigênia Coutinho
Novembro 2004

13 comentários:

Anjo vermelho (Pseudônimo) disse...

iNteramente fabuloso !!
suas poesias sao belissimas...

parabens.
tbm cultivo essa adimiração pelas palavras, pois o ser humano tem dentro de sim muitas coisas boas e é maravilhoso ver laguem que tem o dom de dar vazao a esses sentimentos tornados em poesias graciosas.

beijos
bom final de semana e que seu sucesso perpetue sempre !

Alvaro Oliveira disse...

Amiga Efigénia

Já tinha saudades destes sonetos
tão lindo e amorosos. que belo!

Só não entendo o porque de estar com grandes problemas em abrir
esta seu blog! Faz desesperar.
Ao tentar abrir O Internet Explorer
indica de imediato que não consegue abrir o http:// do blog.

Um beijo, amiga

Alvaro

Úrsula Avner disse...

Olá minha cara escritora, prazer em conhecer um pouco de ti e do que escreves. Gostei da sua poesia, do seu estilo de versejar ! Obrigada pelo carinho em meu cantinho. Seus blogs são bonitos e bem cuidados ! Passo a te seguir também. Quando puder conheça meu blog de citações e de poesias infantis. Um abraço com carinho.

Duarte disse...

Muito bonito, palavras com uma carga evidente de sentimentos profundos.

Beijo-te

UMA PAGINA PARA DOIS disse...

"Não sou como a abelha saqueadora que vai sugar o mel de uma flor, e depois de outra flor. Sou como o negro escaravelho que se
enclausura no seio de uma única rosa e vive nela até que ela feche as pétalas sobre ele; e abafado neste aperto supremo, morre
entre os braços da flor que elegeu."

( Roger Martin)

Passando para desejar um final de semana com muito amor e carinho.
Abraços do amigo Eduardo Poisl

João Menéres disse...

Eu, recente neste mundo virtual, não conhecia o soneto ACEITA ESTA CANÇÃO.
E, por mim, bise, pois eu a aceitei!
Com muita admiração,

Sergio Gonçalves dos Santos disse...

o coração do bem-amado

por amor rasguei a blusa branca
e me finquei nos teus espinhos,
eu atravessei sete mares, santa
moça,sereia dona do meu destino.

e me entrego em ti feito menino
a crer na vida,amarga esperança
de ser somente teu,meu desatino
está nessa saudade que não cansa

de bater na porta do meu coração
escancarado par te ver chegando,
a me desvairar de tanta parixão.

Se um dia eu for velejar encantos
que sejam os teus, minha tentação
doce, terna,sou feliz pois te amo.

sergio, beija-flor-poeta

amei demais o teu recanto.
tuas poesias são maravilhosas, tal vc mesma.

bjs com carinho e amizade

sergio

Eliana f.v. - Li Andorinha - disse...

Belíssima Poesia querida Efigênia!
Em alada canção...transpõe os limites dos sentimentos...
Seduz com liberdade!!!
Parabéns!
beijos carinhosos da Eliana, mais admiração

Léo disse...

Um poema bem cigano eu diria.

"País Egrégio" - sem nacionalidade, In Rumo.

"Vai esta canção, pelos espaços do gentil horizonte penhorado." - Um menestrel a cantar aqui e acolá sempre em caminhar.

"Vôo libertado que fica acarrado aos seus passos" - novamente a citação de uma jornada livre e sem percalços.

Estou a divagar errôneamente?

Direto do Rio.
Beijão moça poetisa.

DoUgLaS BaRrAqUi disse...

Ola minha caríssima amiga
muito obrigado
...
se me permite tomei a liberdade de lhe adicionar a minha lista de favoritos.

um grande beiju p/ ti
e muitas alegrias em decorrência do sucesso!

virgínia além mar- peixe voador disse...

canção aceita pela eternidade ...
lindo minha querida Efigênia
dançarina das letras, abraços de tua virgínia

Luísa N. disse...

Olá, Efigênia

"...como um vôo libertado" é sua poesia; temos que abrir nosso coração alado e tentar seguir, entre nuvens, seus vôos poéticos que ultrapassam horizontes!

Um verde e carinhoso abraço
Luísa

Multiolhares disse...

Muito bonito este teu poema, precisamos escutar as canções, as musicas que nos chegam ao coração, precisamos de o abrir para as cançoes entrarem

Namastê